Dr. Paulo Bearzoti

Conheci o saudoso Dr. Pedro Lupércio Gonçalves quando ele ainda era estudante de medicina. Sua postura sempre foi tranquila, sua fala pausada, sensata, seu semblante, o de um amigo confiável.

Uma vez formado, foi com a esposa, Maria Lúcia, para o Uruguai estagiar no Serviço da Profa. Dra. Maria Antonieta Rebollo. Lá especializou-se em neuropediatria, destacou-se como estagiário, fez amigos e voltou preparado para enfrentar o difícil dia-a-dia da clínica.

Tinha ótima formação em Genética Humana. Exerceu o consultório de especialidade tanto na clínica particular como na Rede Municipal. Nesta, além de seu excelente desempenho junto aos pacientes, sistematizou um exame para triagem neuropediátrica para ser realizada pelos pediatras.

Tinha uma sensibilidade aguçada para detectar os vieses emocionais de seus pacientes e familiares. Desenvolveu e aprimorou ainda mais seus talentos nessa área após ter feito dois anos de curso com o também saudoso psiquiatra infantil Dr. Oswaldo di Loreto.

Por meio de reuniões para discussão de casos clínicos, abordagem de temas variados e comentários de livros, como O Primeiro Ano de Vida, de Renée Spitz, assessorava e burilava a formação dos vários profissionais, como psicólogas, pedagogas, fonoaudiólogas, professoras.

Quando, por causa do avanço de minha doença neurológica, fui obrigado a aposentar-me, passei, com toda tranquilidade e confiança minha clientela para ele. Em seguida, Dr. Pedro convidou-me para participar dos cursos e reuniões que ele ministrava providenciando toda a infraestrutura de que eu necessitava  uma vez que eu estava a um passo de ser cadeirante.

Nossa amizade cresceu e se consolidou cada vez mais. Foram cinco anos de frondosa parceria.

Mas a vida com suas determinações que nem sempre entendemos, ceifou prematuramente sua vida entre nós. Contudo, seu exemplo de vida, sua honestidade, sua competência profissional, sua dedicação aos pacientes, sua atualização continuada e sua humanidade continuaram a envolver construtivamente a todos nós.

E foi como uma homenagem a ele que eu e seu filho, Dr. André Leite Gonçalves, também neuropediatra, continuamos a ministrar o curso por mais cinco anos.

Com saudade, fraternidade e muita amizade, até um dia, Pedro.

por Dr. Paulo Bearzoti