Eliane e Fernando Biajoli

O amigo Pedro;

Conhecemos o Dr. Pedro Lupércio nos primeiros anos da década de 80, quando o procuramos para um diagnóstico de nosso filho mais velho, o Vitor.

Este foi o início de uma história de convivência muito intensa, que transpôs

os limites de décadas e – nos consideramos felizardos e abençoados por isso -  os limites do relacionamento entre profissional de saúde e clientes.

Falar dele como profissional de forma mais feliz que as dos demais depoimentos que podem acessar neste canal, seria muito difícil; acho que, como pais, a melhor definição que podemos apor ao Pedro seria sob a ótica da fé.

Cremos piamente que o nosso misericordioso Deus não dará a qualquer dos seus filhos uma carga maior do que possa suportar. Ele sempre proverá ferramentas, na forma de dons e valores, que permitirão que consigam levar adiante a missão tão nobre, do cuidado de seus filhos tão mais especiais.

Ele também nos presenteia com alguns de seus anjos da guarda, feitos homens e mulheres, que são sustentáculos para que possamos dar qualidade de vida a estas pessoas, sem perder a nossa própria.

Pedro foi um destes anjos da guarda na vida do Vitor e de nossa família, provavelmente e nunca menosprezando os tantos outros, o mais dedicado e crucial com que Deus nos suportou na caminhada de nossos filhos e de nossa família; ao certo, pela óbvia razão de conviver com um cenário similar ao nosso, em seu seio familiar.

Por outro lado, tivemos a honra de conhecer alguns outros Pedros, aqueles que a maioria das pessoas não teve a mesma sorte que a nossa e se lhes  eram desconhecidos.

O marido e chefe de família dedicado, severo mas carinhoso; o amigo com uma fantástica capacidade de ouvir e aconselhar sem imposições; o homem de senso de humor refinado e sutil; o churrasqueiro perfeccionista e crítico; o  trabalhador que sempre dava um jeito de consertar o quer que fosse, notadamente quando de nossa parceria no GAPEC. Pedro tinha uma capacidade incrível de improvisação, ainda que – via de regra – a solução fosse  uma tremenda de uma gambiarra. Rimos juntos e muito por conta destas “soluções Lupércio Tabajara”.

Temos muitas saudades de cada um destes Pedros, saudades que nos são muito preciosas, representantes de nosso profundo respeito e agradecimento, por tudo o que cada deles um fez pela nossa família.

O visitamos no hospital na semana anterior à de seu falecimento. Já bastante debilitado e absolutamente consciente do que estava por vir, sua dignidade e serenidade foram das melhores coisas que recebemos ao longo de nossas vidas.

Conversamos bastante, sendo que o foco sempre foi o quadro de momento do Vitor e que mais seria viável para ajudá-lo no seu caminhar, em busca de independência e qualidade de vida. Auto piedade, mínimas manifestações de dor, revolta, mágoa ou tristeza ficaram longe de nós, naquela noite. Grande Pedro !!

Foi a última consulta que fizemos com o Dr. Pedro Lupércio; foi nossa despedida do grande amigo, do anjo da guarda.

Se foram quase 3 décadas de convívio, será a eternidade de gratidão e de saudades.

Eliane e Fernando Biajoli,
amigos, pacientes, impacientes para o  reencontro com ele, em nosso futuro e somente quando da plena conclusão de nossa missão.